A visão de gestão de Cibele para a União dos Municípios da Bahia (UPB) parte do princípio que as necessidades da população se materializam onde as pessoas vivem, ou seja, nas cidades. E para resolver esses problemas, é preciso fortalecer os municípios e dar mais condições para auxiliar prefeitas e prefeitos a enfrentar os problemas e encontrar soluções para que realizem o objetivo para o qual foram eleitos: trabalhar para melhorar a vida das pessoas.

 

A UPB tem, portanto, grande importância nesse processo porque representa a voz dos prefeitos na luta pela causa do municipalismo, colocando-se como agente de interlocução frente aos governos federal, estadual, poder legislativo, poder judiciário, tribunais de contas, entre outras esferas do poder público.

 

Hoje, muita coisa já é feita pela UPB, mas é possível fazer ainda mais e fortalecer cada vez mais a entidade para que a representatividade dos municípios se reverta em mais conquistas para a causa municipalista; sobretudo nesse momento difícil que as prefeituras vêm atravessando com quedas sucessivas na arrecadação do Fundo de Participação dos Municípios (FPM) e os desafios que o enfrentamento da pandemia vem trazendo para todos, indistintamente.

 

Para isso, é preciso aproximar mais a UPB dos prefeitos e os prefeitos da UPB, porque só com a união dos gestores municipais, a luta pelas bandeiras dos municípios terá realmente força para trazer os resultados que são necessários.

 

Nesse sentido, resumimos abaixo os principais objetivos de Cibele na presidência da UPB, lembrando sempre que é fundamental a contribuição de todos, prefeitas e prefeitos, para a elaboração de um plano de ação conjunto:

 

  • Fortalecer a entidade, unindo os prefeitos em prol da causa municipalista, para ter mais voz na interlocução com os governos federal e estadual.

 

  • Fortalecer a relação dos prefeitos com os deputados estaduais e federais, para que as bandeiras municipalistas tornem-se pautas cada vez mais presentes na agenda do Legislativo.

 

  • Fazer com que a assessoria técnica da UPB aos prefeitos torne-se mais ampla, de forma que os prefeitos conheçam tudo que a entidade pode fazer por eles para fortalecer e auxiliar na gestão do município.

 

  • Fomentar o intercâmbio e a troca de experiências entre os prefeitos, para que soluções sejam compartilhadas e iniciativas bem-sucedidas possam servir de inspiração para resolver problemas que muitas vezes são semelhantes entre os gestores.

 

  • Desenvolver mais projetos de preparação e capacitação em gestão pública para os prefeitos que estão assumindo pela primeira vez.

 

  • Fazer da UPB um centro de interlocução com os Tribunais de Contas, fornecendo toda a assessoria necessária para auxiliar os municípios nas questões legais e jurídicas, de forma a capacitar os gestores no que diz respeito aos processos administrativos, licitações, contratos e prestação de contas.

 

  • Promover a união dos prefeitos de micro-regiões, cujos desafios e problemas são semelhantes, para definição de estratégias de atuação de forma coletiva e coordenada.

 

  • Incentivar a cooperação entre os municípios através de consórcios e projetos coletivos para obtenção de mais recursos, inclusive de fundos internacionais.

 

  • Aperfeiçoar a comunicação da UPB no sentido de fazer a entidade se comunicar mais com os prefeitos.